terça-feira, 14 de setembro de 2010

Veredas da Democracia



Mais um Jornalista assassinado em Angola

O Jornalista angolano Alberto Chakusanga, locutor da Rádio Despertar, uma voz crítica ao governo foi silenciado com um tiro pelas costas, com uma arma silenciosa. O assassinato aconteceu na sua residência após uma suposta longa conversa com o autor do crime que levou consigo um botijão de gaz (?). Para coroar a covardia o assassinato aconteceu no dia em que o mesmo havia deixado sua esposa no hospital para dar a luz ao filho que nasceria nesse mesmo dia. Mais de uma semana depois do ocorrido as autoridades angolanas continuam no mais absoluto silêncio sobre este assunto. Assim andam as democracias em África, em "países irmãos",  nos quais nos lambusamos e aos quais somos incapazes de dirigir palavras críticas. Para nosso consolo, na "avançada" democracia caboverdiana, os jornalistas são silenciados com outros métodos, supostamente menos violentos. São empurrados para a auto-censura e para outros becos sem saída ou, na melhor das hipóteses, se silenciam vergonhosamente por conta própria dando assim a sua valiosa contribuição para o "teatro da democracia".

Sem comentários: