terça-feira, 14 de setembro de 2010

Veredas do Tempo

Brigitte Bardot

 

2 comentários:

Paulino Dias disse...

Como costumas dizer, cumpád, 75% de neurónios e 25% de prazo de validade... Mundu ê duêdu gó...

Olavo disse...

o chamado tempo real é assim mesmo: fugaz e imperdoável...o que nos salva ao nos dar essa sensação de eternidade é o tempo mítico, o qual construimos através da "subjectivação das experiências" e da vida...e, se retirarmos os esteriótipos BBB continua linda, quiçá muito mais linda porque imagino que os tais "neurónios" e a afectividade estarão muito mais maduros...